Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Alicerces de presídio do século 19 dinamitado em 1960 surgiram em escavação para duplicação de avenida

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...



História revelada16/08/2013 | 05h43

Estruturas da Casa de Correção aparecem em obra no centro na Capital

Alicerces de presídio do século 19 dinamitado em 1960 surgiram em escavação para duplicação de avenida

Estruturas da Casa de Correção aparecem em obra no centro na Capital Terra Brasilis Arqueologia/Divulgação
Arqueólogos analisam os vestígios encontrados nos trabalhos de duplicação da Avenida Beira-RioFoto: Terra Brasilis Arqueologia / Divulgação
Parte da história de Porto Alegre saltou aos olhos de funcionários que trabalhavam ontem na obra de duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), próximo à Usina do Gasômetro. E ela estava logo abaixo do solo, a apenas 40 centímetros da superfície. Alicerces da Casa de Correção, antiga cadeia da Capital, foram encontrados pela empresa contratada pela Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov).
Os vestígios arqueológicos estão na Praça General Salustiano, entre as ruas Duque de Caxias e Riachuelo. As robustas colunas de pedra datam do século 19 (leia abaixo). Segundo Alberto Tavares, arqueólogo que acompanha a obra, vestígios semelhantes haviam sido localizados em 2010.
– Nossa função é registrar e monitorar a obra para que se tenha o menor impacto possível sobre o patrimônio arqueológico – explica.
Das entranhas da terra, ontem, saíram apenas parte dos alicerces. Nos próximos dias, é possível que surjam objetos metálicos, louças e vidros. As amostras devem ser encaminhadas ao Museu de Porto Alegre Joaquim Felizado. Segundo técnicos da Smov, a descoberta não atrapalha o ritmo das obras de duplicação da avenida.
MEMÓRIA DE PORTO ALEGRE
Antiga cadeia foi demolida na década de 1960
- A Casa de Correção de Porto Alegre, também conhecida como Cadeia Civil, começou a ser construída em 1852, às margens do Guaíba, para substituir a “Cadeia Velha” – que ficava no Beco ou Travessa da Cadeia, hoje conhecida como Avenida Salgado Filho.
- O prédio foi tão importante para a cidade que passou a ser referência geográfica: a Ponta da Cadeia. Em 1855, recebeu os primeiros presos.
- Com o passar das décadas, especialmente na Primeira República, a Correção foi ampliada com a construção de oficinas industriais. Seus produtos de marcenaria tinham boa reputação.
- A partir dos anos 1940, mal conservada e pequena para a população carcerária que aumentava, a Casa de Correção começou a ser um tema polêmico na Capital. Uma campanha pregava sua demolição.
- Em 30 de novembro de 1954, o prédio pegou fogo. A cadeia abrigava então 1.089 detentos.
- A estrutura foi dinamitada no início da década de 1960.
ZERO HORA


    POSTAGENS DE SERGIO VIANNA