foto: Mauro Pimentel/Terra
O campeão peso pena do UFC, José Aldo, defendeu pela sétima vez o cinturão da categoria até 66kg e se consolidou como o maior lutador brasileiro das artes marciais mistas da atualidade.
Conhecido pelo incrível jogo de combinações de chutes, socos e joelhadas, o atleta da Nova União surpreendeu Chang  Sung Jung ao leva-lo para o solo, onde teoricamente o coreano oferecia mais riscos.
A estratégia na verdade foi uma mudança forçada no plano de luta traçado pelo técnico André Pederneiras, já que o seu atleta machucou o pé no primeiro round logo após ter acertado um chute no Zumbi Coreano.
“Ele sabia a combinação que eu ia fazer, por isso ele deixou o pé. Eu não sei se eu quebrei o pé, está bastante inchado, vou ver agora no hospital. Por isso, eu tive que variar bastante os movimentos e o Dedé falou para eu mudar a estratégia”, disse na coletiva após o UFC 163.
“Eu sabia que eu estava vencendo os três rounds, então, eu não precisava me expor tanto. Agora, eu defendo o cinturão e por isso tenho que procurar lutar com mais inteligência” – explicou o manauara.
Lutador completo
O jogo de solo de José Aldo poucas vezes foi visto em prática no octógono, e apesar de ele ser um ótimo striker, sua origem nas artes marciais vem do jiu-jitsu, modalidade que o motivou a deixar Manaus e se mudar para o Rio de Janeiro, onde se alistou no exército da Nova União.
Sob a supervisão técnica de Dedé Pederneiras, Giovani Diniz e Pedro Rizzo, Scarface se tornou um dos lutadores que migraram com sucesso da luta agarrada para a trocação. Aldo Jr também evoluiu no wrestling, e graças à dedicação aos treinos, defende 92% das tentativas de queda dos adversários e provou sua capacidade de levar o oponente ao solo contra o coreano nesta madrugada.
MMA 04/08/2013 11:49