Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Porto Alegre: prefeito tenta negociar circulação de frota mínima de ônibus

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...



  atualizado às 11h55

Porto Alegre: prefeito tenta negociar circulação de frota mínima de ônibus

Na manhã desta quinta-feira, nenhum ônibus foi autorizado a deixar as garagens da capital gaúcha, deixando passageiros desabastecidos

Porto Alegre Prefeito José Fortunati monitora trânsito da capital gaúcha em meio a greve de rodoviários Foto: Cristine Rochol/PMPA / Divulgação
Porto Alegre Prefeito José Fortunati monitora trânsito da capital gaúcha em meio a greve de rodoviários
Foto: Cristine Rochol/PMPA / Divulgação
O prefeito de Porto Alegre (RS), José Fortunati (PDT), afirmou na manhã desta quinta-feira que busca um diálogo com os rodoviários para garantir o cumprimento da decisão judicial que obriga a circulação uma frota mínima de 50% dos ônibus nos horários de pico (6h às 9h e das 16h30 às 19h30), e de 30% nos demais horários. Devido ao dia nacional de mobilização das centrais sindicais, nenhum coletivo deixou as garagens nesta manhã, por receio de depredações.
"Todos os esforços estão dedicados a atender a população. Quanto aos bloqueios nas vias e das garagens das empresas de ônibus, estamos buscando o diálogo e dispostos a cumprir o que a Justiça definir, observando a segurança dos profissionais e dos passageiros", afirmou o prefeito, que acompanha a situação da cidade no Centro Integrado de Comando (Ceic), que opera em status de "atenção" desde as 5h.
A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) atua desde a madrugada com 250 agentes de fiscalização do trânsito e transporte nas portas de garagens dos ônibus e nas ruas, em razão do anúncio de greve pelo Sindicato dos Rodoviários. Ontem, a Justiça do Trabalho determinou que o serviço fosse mantido ao menos parcialmente.
As alternativas são as lotações, que funcionam de modo parcial, com tabela de horários reduzida, similar à utilizada nos domingos, mas estão autorizadas a transportar passageiros em pé. Os táxis estão funcionando normalmente. O trânsito está fluindo nas principais avenidas da cidade, com movimentação bem abaixo do normal.
Segundo a prefeitura, operam normalmente nesta quinta-feira, sem prejuízo à população, os serviços de coleta seletiva e domiciliar e as urgências e emergências em saúde. Os trabalhos em Meio Ambiente são acionados apenas em casos de urgência e fiscalização, via 156.
Das 144 unidades de atenção primária em saúde (postos, unidades básicas e de Saúde da Família), 48 não estão atendendo. A maioria das escolas municipais também está fechada, e as abertas estão com funcionamento de secretaria e direção, sendo que poucas estão com turmas em aulas. O fornecimento de água também está funcionando normalmente.
Greve geral
Milhões de trabalhadores prometem cruzar os braços e paralisar serviços fundamentais como bancos, indústria, obras, transporte público e construção civil em várias cidades. Entre as entidades que aderiram a paralisação nacional estão a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas), além do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da União Nacional dos Estudantes (UNE). 
Chamado pelos sindicatos de greve geral, o movimento - que pegou carona na onda de protestos que atingiu diversas cidades brasileiras em junho - é o quarto desse tipo em 190 anos, desde a Independência (7 de setembro de 1822). Em 2013, a novidade é a unificação dos sindicatos e movimentos sociais em uma pauta que cobra o avanço do Brasil.
fonte: Terra

fonte


POSTAGENS DE SERGIO VIANNA