Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

domingo, 23 de junho de 2013

TERRORISTAS MATAM DEZ TURISTAS ESTRANGEIROS NO PAQUISTÃO

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...






  atualizado às 13h28

Terroristas matam dez turistas estrangeiros no Paquistão


Extremistas muçulmanos assumiram autoria do atentado contra acampamento, que matou dez montanhistas estrangeiros e um paquistanês. Vítimas se preparavam para escalar o Nanga Parbat, a nona montanha mais alta do mundo.
Pelo menos dez alpinistas foram mortos por homens armados em um acampamento próximo ao Nanga Parbat, uma das montanhas mais altas do mundo, no norte do Paquistão, região próxima à fronteira com a China. A informação é de autoridades locais e foi divulgada neste domingo (22/06).
De acordo com a polícia, o ataque foi realizado na noite de sábado por homens que usavam uniformes de unidades paramilitares. Um grupo extremista muçulmano assumiu a autoria do atentado.
Segundo a polícia, as vítimas são montanhistas de nacionalidades ucraniana, nepalesa, chinesa, russa e paquistanesa. Um chinês teria sobrevivido. Eles se preparavam para escalar a montanha quando foram surpreendidos.
O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, que foi empossado no início do mês, condenou o ataque e ordenou "a investigação e a prisão dos culpados".
Um grupo extremista islâmico ligado ao Talibã chamado Jundallah reivindicou a responsabilidade pelo ataque e prometeu novos atentados contra estrangeiros. O porta-voz do Talibã, Ehsanullah Ehsan, disse que o atentado foi uma vingança pela morte do líder talibã Waliur Rehman no fim de maio, em um ataque de drone (um avião não tripulado).
O ministro do Interior paquistanês, Chaudhry Nisar, disse no Parlamento, que os atacantes conseguiram chegar no acampamento com a ajuda de dois guias mantidos reféns. Um dos dois teria sido assassinado, o outro estaria vivo.
Nisar admitiu que não há proteção da polícia para estrangeiros naquela região. "Aqueles que cometeram este crime hediondo aparentemente queriam destruir as crescentes relações entre o Paquistão, a China e outros países amigos", declarou o Ministério do Exterior do Paquistão através de comunicado.
O governo do Paquistão vem enfrentando grandes problemas, incluindo um desaquecimento da economia e contínuos atos de violência realizados pelos talibãs. A região do Himalaia ainda não havia sido alvo de ataques, sendo uma das poucas áreas do país que ainda atrai turistas estrangeiros, a maioria montanhistas.


POSTAGENS DE SERGIO VIANNA