Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Justiça nega pedido para retirada de vídeo com depoimento de Edir Macedo do Youtube

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...




Justiça nega pedido para retirada de vídeo com depoimento de Edir Macedo do Youtube

Avatar de Dan MartinsPor Dan Martins em 16 de junho de 2013 
Tags: 

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

 Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Justiça nega pedido para retirada de vídeo com depoimento de Edir Macedo do Youtube
A recusa ao pedido de advogados do bispo Edir Macedo e Honorilton Gonçalves da Costa para a retirada de um vídeo que mostra os religiosos prestando depoimento em uma audiência no estado de Santa Catarina foi mantida pelo juiz Anderson Fabrício da Cruz, da 34ª vara Cível de São Paulo. A decisão determina que o Google não deve retirar os vídeos do Youtube.
No vídeo em questão Edir Macedo aparece prestando depoimento durante um processo de falsidade ideológica e está relacionado a transferência de cotas da TV Vale do Itajaí Ltda. Na audiênica, Macedo se defende dizendo que assinou muitos papéis sem ler o conteúdo por acreditar nas pessoas que trabalham com ele.
O pedido dos advogados era motivado pelo argumento de que a gravação e divulgação da audiência foi um “ato covarde” com o objetivo de “promover o sensacionalismo barato”.Os advogados do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus afirmam que a gravação do depoimento viola os direitos morais e os aspectos da personalidade jurídica das pessoas.
Porém, segundo informações divulgadas pela JusBrasil, o juiz negou o pedido novamente afimando que o processo em questão é público e que neste caso é “completamente desnecessária qualquer autorização para o acesso aos autos e, em consequência, aos atos processuais como, por exemplo, as gravações das audiências”.
Assista ao vídeo:
Por Dan Martins, para o Gospel+

POSTAGENS DE SERGIO VIANNA