Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Deputado Eliene se defende por ser favorável à PEC 37

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...





Quarta, 26 de junho de 2013, 14h40
CÂMARA FEDERAL

Deputado Eliene se defende por ser favorável à PEC 37

Gostou do conteúdo então divulgue 
 


 
Marianna Marimon, repórter do GD
OTMAR DE OLIVEIRA
Deputado federal por Mato Grosso, Eliene Lima (PSD)
O deputado federal Eliene Lima (PSD) foi o único da bancada mato-grossense que votou favorável à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 37). Na votação que aconteceu na noite desta terça-feira (25), apenas nove deputados votaram favoráveis contra 430 votos contrários. A votação foi acelerada devido ao movimento das ruas que pressionou os parlamentares a votarem contra a PEC 37.
A PEC 37 estipula que as investigações fiquem a cargo apenas das Polícias, retirando o poder de investigação do Ministério Público, assim como outros órgãos, como Receita Federal, Tribunal de Contas, Controladoria-Geral, entre outros. O Ministério Público realizou movimentação em todo o Brasil para que a PEC fosse rejeitada.
Em sua defesa, Eliene Lima explica que participou de Comissão Especial para discutir a PEC 37, e que sua opinião foi formada após a série de audiências públicas realizadas com especialistas e também a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que já havia se posicionado favorável à aprovação da proposta.
“A maioria das críticas foram feitas por pessoas que nem leram e não tem noção do que é a PEC 37, que apenas define as atribuições das Polícias e do Ministério Público. A nossa Comissão foi formada por 17 deputados, sendo que todos eram favoráveis à PEC, mas mudaram o posicionamento após a pressão das ruas”, disse.
O deputado analisa que não quis mudar o seu posicionamento no Plenário devido ao calor das manifestações e criticou os demais parlamentares. “Se fosse há um mês atrás, a PEC iria passar, mas a minha ideia já estava formada e fui pela minha consciência”, garantiu.
Eliene Lima ressalta que a aceleração da votação da PEC 37 foi estratégia da Câmara Federal em responder aos anseios da população que há cerca de duas semanas realiza manifestações em todo o país.
“Estou recebendo diversas mensagens tanto críticas quanto favoráveis, mas vejo que o Ministério Público fez campanha contra a PEC 37 e as manifestações populares foram na onda, mas não é que votando a favor estou prejudicando ou beneficiando, um ou outro, mas entendo que deve haver uma definição das atribuições no que concerne as investigações”, alegou.
A polêmica da PEC 37 é referente à Constituição Federal que não especifica diretamente qual é a função do Ministério Público no âmbito das investigações.

Acompanhe o GD também pelo twitter: @portalgazeta

POSTAGENS DE SERGIO VIANNA