Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Protestos no RS Movimento contra aumento na passagem de ônibus e outras reivindicações no Rio Grande do Sul.

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...




20/06/2013 17h45 - Atualizado em 21/06/2013 01h01


Sob chuva, manifestantes fazem novo 



protesto em Porto Alegre, RS


Cerca de 18 mil pessoas caminham na Zona Central da cidade.
Previsão de protesto motivou órgãos a redefinir horários de expediente.

Felipe Truda

3 comentários
Manifestação em Porto Alegre nesta segunda-feira (17) (Foto: Felipe Truda/G1)Manifestação em Porto Alegre nesta segunda-feira (17) (Foto: Felipe Truda/G1)
Mesmo com chuva, cerca de 18 mil pessoas estão na Praça Montevidéu, em frente à Prefeitura de Porto Alegre, no Centro da cidade. O protesto desta quinta-feira (20) estava marcado para as 18h, mas a concentração começou por volta das 17h. Manifestantes também ocuparam o Paço Municipal e parte da Avenida Sete de Setembro, onde o trânsito ficou bloqueado. Os manifestantes estiveram divididos em três grandes grupos: um caminhava pela Avenida Júlio de Castilhos, outro pela Borges de Medeiros e um terceiro foi para a João Pessoa e se dirigiu à Avenida Ipiranga.
Mesmo sob chuva, manifestantes fazem protesto em Porto Alegre (Foto: Felipe Truda/G1)Mesmo sob chuva, manifestantes fazem protesto
em Porto Alegre (Foto: Felipe Truda/G1)
Na João Pessoa, alguns manifestantes tentam depredar uma parada de ônibus enquanto a multidão vaia. O grupo grita "Sem Violência". Apesar das tentativas de vandalismo, o protesto segue pacífico.
Manifestantes carregam cartazes no protesto de Porto Alegre (Foto: João Vitor Santos)Manifestantes carregam cartazes no protesto
de Porto Alegre (Foto: João Vitor Santos)
Devido ao tempo chuvoso, há poucos cartazes nas ruas, já que a maior parte das pessoas segura guarda-chuva. Os policiais militares distribuem panfletos no local, com a mensagem de que a BM está presente para assegurar os direito de cidadania e evitar atos de vandalismo. O último realizado na capital do Rio Grande do Sul reuniu cerca de 10 mil pessoas na segunda-feira (17). Na ocasião, o ato começou pacificamente e terminou com alguns registros de vandalismo.
Manifestantes cantam Hino do Brasil durante protesto em Porto Alegre (Foto: Felipe Truda/G1)Manifestantes cantaram Hino do Brasil durante
protesto em Porto Alegre (Foto: Felipe Truda/G1)
Há discordâncias entre os manifestantes. Enquanto alguns cantam o hino nacional, outros vaiam. Na Casa dos Estudantes, jovens jogam papel picado e mostram faixas e panos brancos a quem passa.
Defensoria acompanha manifestantes
Cerca de 15 defensores públicos percorrem a rota dos manifestantes em Porto Alegre para garantir a legalidade e o livre exercício da manifestação de opiniões, conforme informou a Defensoria Pública do Rio Grande do Sul. Eles estão identificados por coletes pretos. Mais seis defensores atuarão nos plantões das áreas judiciais e quatro permanecem na sede da instituição, como núcleo de apoio.
Para orientar motoristas e pedestres entre a tarde e a noite, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) tem um efetivo com 200 agentes nas ruas, principalmente na área central da cidade. Segundo a assessoria de comunicação, 30 câmeras de monitoramento auxiliam a acompanhar a movimentação e ajudam na segurança.
A previsão de manifestação motivou órgãos públicos a definirem novos horários de expediente. Lojas também poderão fechar as portas mais cedo, e efetivos de segurança serão reforçados entre a tarde e a noite.
Prefeito garantiu redução na tarifa de ônibus
A Prefeitura de Porto Alegre encaminhou à Câmara de Vereadores na tarde de terça-feira (18) o projeto de lei que pede a isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) para o serviço de transporte de ônibus. O documento, entregue pelo vice-prefeito Sebastião Melo, pede tramitação do projeto de lei em regime de urgência. O valor da passagem, atualmente fixado por decisão da Justiça em R$ 2,85, pode baixar para R$ 2,80, caso os vereadores aprovem.
No mesmo dia, o prefeito José Fortunati formalizou ao governador Tarso Genro o pedido para que seja encaminhada à Assembleia Legislativa a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel consumido pelo setor de transporte coletivo. De acordo com cálculos preliminares da prefeitura, a isenção do imposto estadual poderia resultar em tarifa de R$ 2,75.
Os protestos na capital gaúcha começaram em março, depois que a prefeitura anunciou um aumento no preço das passagens de R$ 2,85 para R$ 3,05. Uma liminar suspendeu o reajuste. Em meio às manifestações, o prefeito José Fortunati prometeu a redução para, no mínimo, R$ 2,80. Ele já enviou o projeto à Câmara de Vereadores. Os manifestantes querem garantir que o preço das passagens não volte a subir, e incluíram outras reivindicações dentro dos protestos.
fonte: zero hora.


POSTAGENS DE SERGIO VIANNA