Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

terça-feira, 21 de maio de 2013

TENENTE CORONEL PRESO, SOFREU GOLPE DE DIVISÕES INTERNAS!!!

AS MAZELAS DESTA INSTITUIÇÃO MILITAR, QUE EXISTE, TODO MUNDO SABE, MAS QUE CHEGARIA A ESTE PONTO...


FICA MUITO DIFÍCIL, COLOCAR UM TÍTULO NESTA BARBÁRIE, VAMOS COMO ABERRAÇÃO MESMO!!!! 
José Luís Costa
Após ser preso em ação da Corregedoria-geral da Brigada Militar realizada na noite de segunda-feira, e ser liberado ainda na manhã de terça-feira, o tenente-coronel Florivaldo Pereira Damasceno recebeu alta no Hospital da Brigada na manhã desta sexta-feira.



Pereira deixou o hospital praticamente sem falar com a imprensa. Abordado pelos jornalistas, repassou a questão aos seus advogados. Quem comentou a situação em seu nome foi o advogado Bráulio Marques, que o defende no inquérito que está sob análise da Justiça Militar.

— Ele foi vítima de perseguição política do Comando-geral da Brigada, que se politiza a cada dia. Quando se diz que o comandante-gerel tem ficha no PT, isso tira a isenção do seu comando. O meu cliente tem identificação com o PDT e nunca usou isso a seu favor — afirmou Marques.

O advogado sustentou ainda que as armas sem a documentação estavam em uma unidade militar da própria corporação, o que não configuraria crime.

Pereira deu entrada no Hospital da Brigada na madrugada de terça-feira, depois de se sentir mal ao prestar depoimento no Comando de Policiamento da Capital. O oficial estava saindo do Comando de Policiamento Metropolitano e iria assumir 20º Batalhão da Polícia Militar, em Porto Alegre.


Foto: Brigada Militar, Divulgação
Material apreendido:— 1 Fuzil .30
— 2 Carabinas calibre 38
— 2 Carabinas calibre 22
— 1 Arma de pressão calibre 4.5
— 1 Pistola 9mm
— 1 Revólver 38
— 1 Revólver 32
— 1 Cano de 765
— 12 Carregadores de pistola
— 4.260 cartuchos.






Justiça Militar concede liberdade provisória a tenente-coronel no RS

Juíza Karina Nascimento optou por relaxamento da prisão nesta terça (21).
Tenente-coronel Florivaldo Damasceno responderá processo em liberdade.

Caetanno FreitasDo G1 RS
4 comentários
Armas e munição apreendidas com o tenente-coronel Pereira em Porto Alegre (Foto:  Éverton Nunes/Brigada Militar/Divulgação)Armas e munição apreendidas com Damasceno
(Foto: Éverton Nunes/Divulgação Brigada Militar)
A juíza Karina Nascimento, da 1ª Auditoria Militar de Porto Alegre, concedeu na tarde desta terça-feira (21) liberdade provisória ao tenente-coronel Florivaldo Damasceno, preso na segunda-feira (20) por receptação. Conforme a magistrada do Tribunal de Justiça Militar (TJM), não há elementos que comprovem o crime. Damasceno deverá responder o processo em liberdade.
“Concedi a liberdade provisória porque não tínhamos elementos para solicitar a prisão preventiva. Entendemos que ele deve ser solto e responder o processo em liberdade”, ressaltou a juíza ao G1. “Não se sabe a origem dessas armas, por isso não há como provar que se trata de receptação. Para isso, o armamento deveria estar envolvido em crimes. Também não sabemos se é algum tipo de crime previsto na lei do desarmamento”, alega.
A magistrada admite, no entanto, que há indícios de irregularidade no caso. “Realmente existem algumas irregularidades, mas não há provas para manter o tenente-coronel preso. Ele não oferece risco”, salienta. Segundo ela, o processo será encaminhado ao Ministério Público, que deve analisar possível denúncia contra o tenente-coronel.
Entenda o caso
A corregedoria-geral da Brigada Militar prendeu na noite de segunda-feira (20), em Porto Alegre, o tenente-coronel Florivaldo Damasceno por receptação. Ele estava com armas e farta munição, que não tiveram origem especificada. O material foi encontrado dentro do 20º Batalhão de Polícia Militar, onde Damasceno assumiu o comando recentemente.
Segundo a Brigada Militar, Florivaldo Pereira prestou depoimento no Comando de Policiamento da Capital (CPC), onde teria afirmado que as armas haviam sido coletadas em Novo Hamburgo, na casa de uma viúva de um colecionador. Todas estavam registradas, mas metade delas tinha o registro vencido. Foram encontrados termos de doação no nome do colecionador e em nomes de terceiros.
Procurada pela corregedoria, a viúva confirmou a versão apresentada pelo tenente-coronel. O oficial foi conduzido ao 4º Regimento de Polícia Montada da Brigada (4º RPmon), de onde foi levado para o Hospital da Brigada Militar depois de passar mal.
Ainda segundo a Brigada Militar, eram seis armas longas e três curtas, cerca de 4,2 mil munições, algumas de uso restrito, além de 12 carregadores de munição e um cano de pistola. Para fazer o transporte deste armamento, o tenente-coronel precisaria de autorização especial.
Florivaldo Pereira Damasceno é natural de Vacaria, Serra do Rio Grande do Sul, e ingressou na Brigada Militar em 15 de janeiro de 1979. Seu último cargo foi como comandante do Policiamento Metropolitano, até 15 de maio deste ano. Ele havia assumido o comando do 20º Batalhão de Polícia Militar, na Zona Norte.
SERGIO VIANNA: É gritante a montagem que fizeram, com este oficial, a ponto da própria imprensa duvidar, como o caso do Programa, da Record, do tal de Motta, vir a público duvidar e levantar tal suspeita, bem verdade, que as armações não param, que o sistema sempre vem sendo usado, para ferrar a bola da vez, em todos os cantos, não poderia ser diferente na Brigada Militar, mais uma falcatrua para coleção das Mazelas do sistema, só quem passa por uma situação como esta, sabe avaliar, o dano e o que este policial esta passando, só posso desejar a ele, boa sorte e força, porque vai precisar, o estrago foi grande.   Imagina, ele mandou seus policiais buscar as armas, só isso ja bastaria, para a inteligente corregedoria no minimo saber que não havia crime e sim descuido burocrático, mas no poder tudo eles podem!!!!


tópicos:

POSTAGENS DE SERGIO VIANNA