Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

NÃO HÁ PROVA QUE LIGUE ACUSADO Á MORTE DE CECI CUNHA, DIZ DEFESA...

Este blog, tem como finalidade, êxpor as mazelas, do dia a dia, prejudiciais, de forma que possamos, nos defender ou auxiliar alguem com informações, divergencias ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro...

 Sergio Vianna - Leiloeiro Oficial17/01/2012 - 10h15


Não há prova que ligue acusado à morte de Ceci Cunha, diz defesa



As acusações contra o ex-deputado federal Talvane Albuquerque são "apenas ilações" e não existem provas que o vinculem ao assassinato de Ceci Cunha, segundo o advogado de defesa, Welton Roberto.


De acordo com ele, a acusação nunca buscou outros suspeitos.


Após 13 anos, político acusado de mandar matar deputada vai a júri

STF nega repassar caso sobre morte de deputada para Justiça comum

Acusados por morte de deputada querem ser julgados pela Justiça Estadual


"Ele [Talvane] está apreensivo, mas tranquilo. Espera que o julgamento ocorra com imparcialidade, pois há muita pressão em Alagoas pela sua condenação", afirmou.



Para o advogado, o tribunal do júri pode ser anulado, pois dois recursos contra a decisão de submeter os réus a júri popular ainda não foram julgados.



Isso significa que o julgamento foi marcado sem que as possibilidades de recurso no Supremo Tribunal Federal e no Superior Tribunal de Justiça tivessem se esgotado.



Ontem, no primeiro dia do julgamento, as testemunhas de acusação voltaram a dizer que Talvane foi o mandante do crime. A previsão é que o julgamento se estenda até sexta-feira.

CASO
           Ceci foi morta durante uma visita à casa de sua irmã, em Maceió, horas depois de ser diplomada deputada pela Justiça Eleitoral. Era o seu segundo mandato.



Ela, seu marido, Juvenal Cunha, o cunhado Iran Maranhão e a mãe dele, Ítala Maranhão, estavam sentados em frente à casa da família quando foram atingidos por pistoleiros. Todos morreram.



A deputada foi atingida por um tiro no pescoço. O episódio ficou conhecido em Maceió como a "chacina da gruta", em referência ao bairro onde ocorreu.



Primeiro suplente na coligação que elegeu Ceci Cunha na eleição de 1998, Talvane Albuquerque chegou a assumir a vaga, mas foi cassado pela Câmara dois meses depois por falta de decoro parlamentar.



Ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal sob acusação de encomendar a morte da deputada. Ficou preso por um ano e, desde maio de 2000, aguarda julgamento em liberdade.

POSTAGENS DE SERGIO VIANNA