Postagem em destaque

CARTA DE DEMISSÃO DA SENHORA PRESIDENTE DA REPÚBLICA (11.05.2016)

Este blog, tem como finalidade, expor as mazelas, as quais convivemos em nosso dia a dia, sempre baseado em informações, divergências ou rej...

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

IMPRENSA: É PRECISO CONTROLAR!

Este blog, tem como finalidade, êxpor as mazelas, do dia a dia, prejudiciais, de forma que possamos, nos defender ou auxiliar alguem com informações, baseadas em fatos, se observados, sempre consta nos. ocorrências e processos dos fatos narrados, divergencias ou rejeições, fazem parte, nem cristo agradou, que dirá um mero leiloeiro... Sergio Vianna - Leiloeiro Oficial...

Fonte ORDEM E LIBERDADE DO BRASIL em 09.11.2011.
POR MAIS QUE TENHAMOS QUE ENTENDER O DIREITO E LIBERDADE DE IMPRENSA, A CONTA NÃO FECHA, VEJAMOS, DO PRESIDENTE DA REPUBLICA AOS SIMPLES FUNCIONÁRIOS DE TODAS AS AUTARQUIAS, SÃO FISCALIZADOS,  MP TEM CORDENADORIA, POLICIAIS TEM CORREGEDORIA, JUIZES TEM CORREGEDORIA E CNJ;    AO CONTRÁRIO A IMPRENSA A POUCO TEMPO ATRÁS, COM PROJETO DE LEI, DISPENSOU A FORMAÇÃO SUPERIOR PARA SER APRESENTADOR E JORNALISTA, OU SEJA, QUALQUER VIVENTE, PODE DESEMPENHAR PAPEL DE JORNALISTA.
OFÍCIO QUE EXIGE MAIS DO QUE SER NOMEADO, POIS LIDA COM VIDAS, COM DIREITOS ADQUIRIDOS CONSTITUCIONAIS, NÃO É SIMPLESMENTE, SAIR ROTULANDO, ESCANCARANDO MATERIAS, COMO FAZEM ALGUNS E DEPOIS,  AINDA USAM PRERROGATIVAS, COMO LIBERDADE DE IMPRENSA, ISSO É UMA COISA, DANOS, MATERIAIS, MORAIS, INVASÕES E ATOS ILICITOS MANCOMUNADOS COM OUTROS ORGÃOS, TIPO POLICIAIS, FABRICAR NOTÍCIAS INVERIDICAS, TEATRO COMO JOGAR SAPATOS NAS PAREDES, SENSACIONALISMO BARATO DE 1,99, ALMEJANDO E USANDO O NOME DO POVO, MENOS ESCLARECIDO E FAVORECIDO, É CRIME, E TEM QUE SER RESPONSABILIZADOS, TANTO AS EMPRESAS JORNALISTICAS, COMO OS AUTORES DOS FATOS, MUITOS TRAVESTIDOS DE JORNALISTAS, SEM A MINIMA CONPETENCIA PARA TAL, ESTA CHEIO  O  MERCADO, TA NA HORA DE DIFERIR ESTES FATOS, SOBRE PENA DOS CORRETOS,  AQUELES QUE RESPEITAM O CONTRADITÓRIO, A CONSTITUIÇÃO,  PAGAR POR  ESTES VAGABUNDOS, TRAVESTIDOS DE IMPRENSA, SEMEANDO ATOS E FATOS INVERIDICOS E CRIMINOSOS, PROVOCANDO DANOS IRREPARÁVEIS E DEPOIS LAVANDO AS MÃOS, "TUDO EM NOME DA LIBERDADE DE IMPRENSA"... SÓ NO BRASIL SE CRIA ESTES VERMES...

Parabéns pela materia abaixo, ato de coragem, de bom senso e ideológico, do
Sr. Antonio Augusto Davila., manifestações que resguardam a ética e moral,
que muitos perderam a tempo e querem dominar o campo atropelando tudo e todos...


IMPRENSA: É PRECISO CONTROLAR!


Antonio Augusto Davila, economista. ZERO HORA,09/11/2011

Grandes organizações empresariais gastam décadas na montagem de suas equipes de colaboradores, distribuídas em estruturas permanentemente aperfeiçoadas. Para atingir tal estágio, entre outras tantas providências, utilizam rigorosa seleção e exaustivos treinamentos. Por outro lado, apenas no plano federal, o mastodôntico Estado brasileiro, como num passe de mágica, preen-che dezenas de milhares de cargos de livre nomeação, distribuídos em uma estrutura completamente irracional, montada ao sabor das conveniências partidárias, mediante uma única exigência: indicação política. Em bom número, os futuros ocupantes de altos cargos são recrutados no submundo das campanhas eleitorais, onde a norma – ditada pelos próprios candidatos – é agir à margem da legislação.

A incompetência gerencial vai às entranhas do (des)governo através de um processo de contaminação a partir dos centros de poder capturados por grupos partidários. Proliferam as irregularidades administrativas e, a seguir, a corrupção; ambas em velocidade muito superior à contínua multiplicação dos órgãos estatais. Os controles administrativos são simplesmente anulados e o Judiciário submerge sob uma avalanche de processos. Na raiz desse fenômeno de dificílima reversão, está a ideologia hoje em voga, mistura de um patrimonialismo colonial com ideias vagamente socialistas. Ideologia que pretende um Estado onipresente, tentacular e fortemente intervencionista na economia, apesar de a história mostrar que não há forma de casar-se esse Estado com níveis de ineficiência, de desperdício e de corrupção, pelo menos, aceitáveis.

Mas, em meio a tudo isso, alguns órgãos de imprensa teimam em se manter independentes e críticos, insistem em fazer jornalismo investigativo e não conseguem entender que isso atinge o coração, a sobrevivência do sistema. Num Estado tentacular e mastodôntico, o controle estatal da mídia é imperativo da ideologia que o sustenta. Aliás, se ele intervém em tudo, por que não intervir na imprensa?

POSTAGENS DE SERGIO VIANNA